28/12/2016

Vende-se ADIDAS X 16.1 SOFT GROUND

TAMANHO 44 2/3 (UK 10), com pitões amovíveis (alumínio e borracha)
Absolutamente NOVAS

94,99 Euros


Contactar Henrique Araújo (a quem estas chuteiras não servem) ou ligar para 965010097

22/12/2016

Marítimo,2 - 1º de Maio,0 (Sub17)

Uma vitória que exigiu muita paciência, antes do Natal. Com 1-0 ao intervalo (Domingão, aos 40 minutos), o 1º de Maio cumpriu sempre o seu papel e conteve o resultado até quase até ao fim do jogo quando, a 10 minutos do fim, João Pereira sentenciou o encontro com o segundo golo. Teixeira esteve sempre bem na baliza do 1º de Maio, impedindo o Marítimo de chegar a outro resultado, mais substancial.
Os verde-rubros realizaram um jogo mediano, com boa troca de bola que, no entanto, esbarrou sempre com a aglomerada e bem arrumada defensiva dos visitantes.


19/12/2016

Machico,1-Marítimo,7 (Sub17)

Primeiro jogo da segunda fase, de apuramento do Campeão, com uma vitória robusta. Com 1-4 ao intervalo, a equipa da casa apenas criou a jogada em que marcou. Golos de Luís, Décio, Afonso, Mauro (2), Pereira e Duarte.

12/12/2016

Fim da 1ª fase nos Sub17

Com uma vitória em C.Lobos por 2-0 (Sérgio Gomes e Rodrigo Andrade), o Marítimo Sub17 termina a 1ª fase com o pleno de pontos. A segunda fase, de apuramento de Campeão inicia-se já no Domingo, com jogo em Machico.

O 2º golo do CSM, primeiro de cinco de Henrique Araújo
Nos Sub15, já na fase de apuramento de Campeão, uma vitória na Camacha, frente ao União, por 7-0. Marcaram: João Pedro Barros, Henrique Araújo (5) e João Guilherme.

[Resumo]

06/12/2016

Duas vitórias

Sub17 Marítimo,3 - Pontassolense,0

Sub15 Marítimo,8 - Andorinha,0

Golos de Gonçalo Araújo, João Pedro Barros, Guilherme, Carlos, Gonçalo Luís e Henrique Araújo (3).

29/11/2016

Jogos do Fim de Semana

Sub 17

Andorinha,0 - Marítimo,3

Sub 15

Marítimo,6 - C.Lobos,1

Golos: Henrique Araújo (3), João Pedro Barros (2) e João Guilherme.

21/11/2016

Juventude AC,0 - Marítimo,5 (Sub15)

Sem jogos no Regional de Juvenis, continuou a fase de apuramento de campeão de Sub15 (iniciados). No Adelino Rodrigues (Liceu) o Marítimo venceu o Juventude por 0-5 com 0-2 ao intervalo. Gonçalo Luís, Kiko, Henrique Araújo e Gonçalo Silva (2) marcaram os golos.

O primeiro golo tardou, mas chegou a meio da 1ª parte. Depois, o Juventude ainda obrigou Pedro Aguiar a uma enorme defesa. Antes e depois, uma enxurrada de oportunidades não concretizadas pelos verde-rubros intervaladas por mais um ou outro golo. 

Um rácio normal de concretização levaria o resultado naturalmente para os dois dígitos. Tal não aconteceu pelo acerto do guardião do Juventude, pelas barras das balizas fazerem parte do jogo e pela falta de pontaria (incomum) dos verde-rubros neste dia.


14/11/2016

Marítimo,7 - Xavelhas,0 (Sub17)

Com seis a zero ao intervalo (Dinis-3, Pelágio-2 e Henrique Araújo marcaram), na segunda parte, a equipa foi menos eficaz tendo Bráulio Domingão marcado o golo restante. A salientar, no encontro, o possante ponta de lança Dinis que esteve sempre muito eficaz quando, com um ou dois toques na bola, concluía o bom trabalho de equipa. Pelágio, Bráulio e Henrique Araújo marcaram e assistiram. Alguns golos ficaram por marcar (o guarda-redes xavelha fez um bom jogo) e um ficou por validar, anulado a Henrique Araújo, já na 2ª parte por pretenso fora de jogo.

08/11/2016

Juventude AC, 1 - Marítimo, 5 (Sub17)

Golos de Luís(2) , Dinis, Domingão e Mauro. Sob más condições atmosféricas (muita chuva) apenas demorou o 1º golo. Ao intervalo 1-0 e o Juventude AC com menos um jogador por expulsão.

31/10/2016

Marítimo,8 - C.Lobos,1 (Sub17)

Com dois golos muito cedo e uma expulsão (do guarda-redes) o jogo não teve muito mais história. Com 4-1 ao intervalo, aconteceram mais 4 golos até final. Henrique Araújo, Bráulio Domigão e Pedro Pelágio fizeram um bis. Luís e Mauro (gp) marcaram os restantes dois golos.

[Resumo]

28/10/2016

Pontassolense,1 - Marítimo,3 (Sub17)

Um jogo realizado em "dois tempos", um no dia 16 sob intenso nevoeiro (0-3) e outro, no dia 23, que permitiu aos da casa reduzirem a diferença. Um jogo que, pelas circunstâncias em que decorreu, não teve "história". Fica o resumo possível.

11/10/2016

Marítimo,7 - Andorinha,1 (Sub17)

Com 5-0 ao intervalo, o jogo acabou com o resultado em 7-1. Dinis e Henrique Araújo fizeram hat-trick tendo Luís marcado o outro golo. O Andorinha marcou de penalti tendo apenas importunado a baliza verde-rubra através de bolas paradas.

06/10/2016

Duas vitórias para iniciar (Sub17)

No arranque do Regional de sub17, o Marítimo obteve os seguintes resultados:

23/09/2016  Marítimo,4 - Juventude AC,1
30/09/2016  Xavelhas,1 - Marítimo, 7

No Domingo, dia 9/10/2017 disputa-se o Marítimo - Andorinha.

18/09/2016

Super Taças - uma para cada

Depois de uma vitória do Marítimo, nos Juvenis, no Sábado, com um resultado justo (2-1), face ao que se passou no jogo, novo duelo neste Domingo.

O jogo acabou por se decidir numa jogada, no arranque na 2ª parte, depois de um empate a um no final da primeira. Golos de Iago e Henrique Araújo, no final da primeira parte.

Uma entrada dura a meio campo, de um jogador do Nacional, não é sancionada. Apesar de vários jogadores (do Marítimo e do Nacional) pedirem a paragem do jogo, o árbitro não acedeu. O jogador lesionado ficou estirado no chão e o nacionalista, com fair-play, alheou-se do jogo, pedindo assistência ao adversário. A jogada seguiu, lentamente, até que acaba com a bola batendo na mão de um jogador do Marítimo, no interior da área. 

[Vídeo]  [Resumo]

O árbitro, que não marcou a falta, nem suspendeu a partida, marca penalti. A reclamação que se seguiu resulta num cartão vermelho: um jogador verde-rubro persegue o árbitro, que lhe vira as costas. No seguimento, dá-lhe um toque de dedos, de chamada de atenção nas costas. Uma ação indevida, que deve ser reprimida e castigada, mas que não tem, claramente, qualquer intenção agressiva. As imagens de vídeo são evidentes na demonstração dessa simples intencionalidade de chamada de atenção.

Assim, o jogo prosseguiu com o penalti (2-1) de Pedro Silva que Vicente Lara, por pouco não defende, fechando o resultado da partida, apesar da garra verde-rubra a jogar com 10 e sem Kiko que, lesionado na jogada acima descrita, não voltou a jogo.

29/06/2016

Madeira,2 - Algarve,0

Terceira vitória consecutiva, 4º lugar no torneio, repetindo a melhor classificação de sempre de uma selecção regional na prova, já com 32 edições.
Ficou a saber a pouco, depois de dois empates iniciais, perfeitamente desnecessários. Efeitos óbvios da insularidade que reduz significativamente os jogos competitivos disputados pelos nossos jogadores. Talvez por isso, o Torneio foi feito em crescendo, sem derrotas, com os referidos 2 empates, seguidos de 3 vitórias a 2-0, oito golos marcados e apenas dois sofridos.

Henrique Araújo faz 5 golos em 5 jogos, marcando sempre nos 4 últimos jogos. Terá sido um dos melhores marcadores do torneio.

No jogo de hoje, tudo começou bem para a Madeira pois Iago, ao esgueirar-se para a área logo no primeiro minuto conquista uma falta e um cartão vermelho para um dos centrais algarvios.

Pouco depois o mesmo Iago faz um golo magnífico, precedido de uma posição de fora-de-jogo, numa fuga pela direita, culminada por um toque por cima do guarda-redes. Henrique Araújo, pouco depois, consolida a vantagem num toque de cabeça, bem no coração da área, respondendo à solicitação do colega.

A partir daí, só deu Madeira, com algumas boas jogadas, infelizmente não concretizadas.

Lisboa (15 pontos) e Aveiro (13 pontos) disputam a final. Braga e Madeira (11 pontos) ocupam os lugares seguintes da classificação. A vantagem de goal-average de Braga determina o seu 3º lugar, muito à conta dos 10-0 impostos a Horta que acabou por ser, de alguma forma, a "vítima" das goleadas no torneio.

28/06/2016

Madeira,2 - Beja,0

Um jogo algo incaracterístico, muito por culpa do vento que inviabilizava muitas iniciativas. Depois de uma primeira parte algo monótona (mesmo assim com evidente supremacia madeirense) a 2ª parte trouxe mais alguma movimentação, a suficiente para a marcação de dois golos (Henrique Araújo e Tomás Melício) que garantiram uma vitória não muito complicada para a selecção regional.

[Resumo]   [Jogo]

Falta apenas um jogo. Ainda não temos derrotas e uma vitória amanhã poderá levar a selecção a uma das melhores classificações de sempre, da Região, no Torneio. Estamos em 5º lugar entre 22 selecções. O jogo, em Santo António (relva), contra o Algarve será difícil e complicado. Mas tudo está em aberto.

Infelizmente, os dois empates iniciais (bastaria ganhar um desses jogos) impedem-nos de jogar amanhã em posição de aceder à final.

Lisboa, Aveiro, Viseu e Braga estão à frente. Madeira é 5ª classificada. Infelizmente, parece não estar previsto (como no ano passado) um jogo entre os 3º e 4º mais pontuados. Poderia ser uma motivação extra.

26/06/2016

Madeira,2 - Santarém,0

À terceira foi de vez e a Madeira ganhou. Um bis de Henrique Araújo ainda na primeira parte assegurou um bom triunfo sobre uma equipa alguns furos acima dos dois primeiros adversários.

[Golos]   [Peça RTP Madeira]  [Resumo]   [Jogo]

O jogo até começou melhor para os continentais, que tiveram duas boas oportunidades nos primeiros cinco minutos. Vicente Lara e Tiago resolveram as situações. A partir daí, tirando algumas bolas paradas, só deu Madeira...

A equipa voltou a subir de rendimento face aos jogos anteriores. Mas precisa de ter elevados os níveis de concentração logo a partir do apito inicial. Para não arriscar começar os jogos a perder... 

Todos estiveram bem. A salientar Pedro Silva (que não sabe jogar mal), a importância do "regresso" de Tomás e o acerto de Henrique Araújo. Sem esquecer a irrepreensível exibição de Vicente Lara e da defesa no seu todo, que criou um bloco coeso logo depois daqueles minutos iniciais. João Pedro Barros foi titular (e bem), Duarte "lambreta" fez uma segunda parte ao seu nível (depois de dois jogos menos bem conseguidos).

Ainda sem perder, há que manter a concentração depois da folga de amanhã. São dois jogos em relva (o que poderá ajudar) em Machico - 3ª feira 9.30 (Beja) e Santo António - 4ª feira 11.00h (Algarve). Dois jogos para chegar a uma boa classificação.

O jogo final pode ficar acessível para uma equipa com 12 pontos, contra Lisboa a quem os 15 pontos não deverão escapar. Braga ainda pode ir aos 13 mas tem 2 jogos duros pela frente. Aparentemente, ao contrário do ano passado, não parece estar previsto jogo entre os 3º e 4º mais pontuados. Jogo que ainda poderia consistir numa motivação extra para a selecção madeirense...


25/06/2016

Madeira,1 - Bragança,1

Mais um empate inglório para a Madeira. Na primeira parte só deu Madeira. Vicente Lara não foi sequer chamado a receber um passe de um colega, a marcar um pontapé de baliza. Aí, a selecção madeirense atacou, teve uma mão cheia de oportunidades, apenas uma entrou (Henrique Araújo). Na segunda parte nada mudou nesse aspecto mas, logo no início, aproveitando o vento, um livre forasteiro marcado a 30 metros, bombeado, junto à barra e poste, acabou dentro da baliza. E depois dessa, o guarda-redes madeirense só tocou mais uma vez na bola...

Até ao fim, ataques e oportunidades dos madeirenses, sem sucesso. Do adversário, paragens, lesões e substituições (muitas). No final, mais um empate, desta vez, muito, mas muito inglório.
A equipa esteve melhor que ontem. E ainda não perdeu.
Amanhã jogará contra Santarém, à tarde, pelas 17h, em Santa Cruz. Será desta?
Acreditamos que sim, em crescendo, até ao último jogo.

24/06/2016

Madeira,1 - Vila Real,1

Um inicio de Torneio com demasiada "termideira". Foi evidente a falta de experiência competitiva de muitos dos madeirenses, na sua primeira experiência nacional. Uma noite bem dormida e o segundo jogo, amanhã, só pode correr melhor. Basta jogar o que sabem. Que é muito mais do que vimos hoje.

[Resumo]   [Jogo]

O jogo começou bem melhor para Vila Real. Aproveitando o mau arranque madeirense tiveram um quase-golo e um golo muito cedo. A partir daí, Vila Real teve apenas mais uma boa ocasião, tendo passado por muitos calafrios e abusado das paragens de jogo. Neste aspecto o árbitro este mal na primeira parte (não compensando) e bem no final, fazendo-o.

A Madeira podia e devia ter ganho o jogo. Apesar do jogo nervoso, perdendo muitos passes, foram criadas ocasiões mais do que suficientes para chegar à vitória. Mas tal não foi possível. Estiveram ao seu nível, Pedro Silva, Henrique Araújo e o lado esquerdo da defesa. João Pedro Barros também entrou bem.

Amanhã há novo jogo. Se a noite for de descanso, o segundo jogo já deve ser em crescendo. E aí ganharemos pela certa. Força Madeira.

A primeira jornada já deu algumas indicações: Lisboa deve passear até à final. Aveiro e Algarve ainda podem lá chegar com os mesmos 15 pontos. Mas, Aveiro ainda jogará com Braga e o Algarve com a Madeira, no quinto jogo. O Porto deverá ficar nos 13 pontos (empatou hoje com Braga) e, se somar o goal-average suficiente, mantém-se como forte candidato à mesma final.

21/06/2016

Torneio Lopes da Silva 2016 na Madeira


Clubes madeirenses atentos ao Lopes da Silva
As ambições dos "craques" madeirenses (Henrique Araújo, Luís Paulo Gois)
Humberto Fernandes (seleccionador regional)
Jorge Carvalho - Secretário Regional de Educação
Rui Marote - Presidente da Associação de Futebol da Madeira
Apresentação do Torneio (com Rui Manhoso e Pauleta) 

Torneio Lopes da Silva - Selecção escolhida

Está escolhida a selecção regional para o Torneio a realizar aqui na Madeira a partir de 6ª feira.

Do Marítimo, foram seleccionados os seguintes 6 jogadores:

Duarte Miguel Namora Martins 
João Pedro Barbosa Barros 
Tiago David Freitas 
Vicente Jardim Gonçalves Barreto Lara 
Gonçalo Luis Caldeira Rodrigues 

Os restantes são:

Francisco Tomás Rodrigues Mendonça 
Iago Alexandre Gomes Rodrigues Cardoso 
Igor Gonçalo Pinto Teixeira 
João Rodrigo Jardim Sousa 
Jorge Henrique Silva Figueira 
Pedro Afonso Costa Silva 
José Lucas Gouveia Gonçalves 
José Tomás Melício Fernandes 
Luís Paulo Ferreira Góis 
Luís Pedro Lopes Freitas 
Martim Luís Freitas Andrade 
Rodrigo Miguel Leça Andrade 

15/06/2016

Torneio Lopes da Silva

Vitória no "Madeira Jovem" na Páscoa
Está lançado o Torneio Lopes da Silva de 2016 a realizar, pela primeira vez aqui na Madeira. É um torneio de grande relevância (realiza-se há 32 anos) para a formação do futebol português sendo considerado o arranque na definição da primeira seleção nacional (de Sub-15) que se reune na época seguinte.

A Seleção da Madeira estará presente, como sempre. A sua melhor classificação é um 4º lugar.

Este ano, a equipa ainda não está definitivamente fechada, inclui nove jogadores verde-rubros. A saber:

Vicente Lara (gr)
Tiago Freitas
Francisco Abreu
Duarte Martins
Gonçalo Silva
Gonçalo Luis Rodrigues
Henrique Araújo (capitão)
Pedro Canha
João Pedro Barros

O primeiro jogo será em Gaula, contra Vila Real às 17h na Sexta-feira dia 24 (RSint)
Sábado, dia 25, 11h, contra Bragança, em Machico (RSint)
Domingo, dia 26, 17h, contra Santarém, em Santa Cuz (RSint)
Segunda, folga
Terça, dia 28, contra Beja, 9.30 em Machico (RNat)
Quarta, dia 29, contra Algarve, 11h em Santo António (RNat)

O acesso à final determina-se pelos pontos e goal-average obtidos por todas as 22 seleções presentes.

Lisboa, Porto e Braga são, usualmente, as equipas mais fortes. Este ano, o calendário (Porto e Braga jogam entre si) poderá propocionar a outros, o acesso às finais (não sabemos se serão dois jogos - como no ano passado - ou apenas um).

05/06/2016

Marítimo,2 - Nacional,2

Final da Taça, emotiva, disputada, equilibrada. Pendeu para o Nacional nas grandes penalidades (5-3). Uma época marcada pelo equilíbrio, onde os pormenores desequilibraram. No Regional, por obra do Silva. Esta manhã por situações que acontecem em qualquer jogo. Nada que retire o mérito a quem perdeu (nem a quem ganhou).

[Resumo]    [Jogo]

A meio da primeira parte, o Marítimo já ganhava por 2-0 (Francisco Vieira e Henrique Araújo). Nos últimos 15 minutos desse primeiro tempo, o meio campo maritimista decaiu um pouco, dando azo ao aproveitamento do Nacional que consegue um primeiro golo numa insistência e assistência de João Miguel. O segundo golo é mesmo deste jogador, de cabeça, na sequência de um livre-bola-balão sobre a defesa verde-rubra. O marcador não estava fora de jogo.

Na segunda parte, voltou o Marítimo à mó de cima, tendo Simão estado perto de marcar o 3-2. No final, o Nacional podia ter resolvido por Sá (à barra).

Vieram os penaltis e a taluda saiu aos nacionalistas. 

É o fim de uma época, sem Regional, nem Taça, mas sem qualquer sombra de supremacia do adversário. O equilíbrio foi a regra e a sorte acabou por ser madrasta para os verde-rubros. Mau mesmo (prejuízo pessoal significativo para a carreira dos verde-rubros) foi a impossibilidade de disputa dos dez jogos dos "nacionais" de iniciados, cedida aos adversários, pelo referido Silva. [vídeo]

29/05/2016

Machico,1 - Marítimo,5

Na meia-final da Taça e contra a terceira equipa madeirense (claramente) o Marítimo mostrou que está bem e recomenda-se. A subir de forma com vista à final a disputar no Domingo, em Gaula, contra o Nacional (5-0 contra o Juventude).
Depois de 25 minutos de luxo (0-3), a equipa controlou o resto do jogo, mesmo numa fase, no arranque da 2ª parte em que Machico subiu, fez o 1-3 e tentou "voltar" ao jogo.

[Resumo]  [Jogo]

26/05/2016

Andorinha,0 - Maritimo,0 (3-4 após gp)

A eliminatória foi ultrapassada, não sem um grande susto. O "autocarro" do Andorinha (pouco se chegou à baliza verde-rubra) foi muito eficaz. E, tal como em jogo no início da época, o adversário foi aumentando a sua motivação com o decorrer da partida. Ao invés, a ansiedade foi crescendo nos jogadores verde-rubros que foram desperdiçando golos em jogadas em cima de jogadas. No final, foi Diogo que foi gigante, defendendo duas grandes penalidades, abrindo as portas às meias contra Machico (no Domingo).

[Resumo]   [Jogo]


18/05/2016

Definido o Calendário da Taça

Três jogos é o que se espera. 
Contra o Andorinha já no Domingo. 
Segue-se o vencedor do Juventude-Bairro da Argentina e, finalmente, o jogo final em Gaula.
Aí, é provável o reencontro com o Nacional, que, deste vez, espera-se que jogue sem reforços ... [vídeo]

15/05/2016

Marítimo A,7 - Juventude B,0

Ficou assim terminada a primeira fase da Taça da Madeira. Três zero ao intervalo, com 3 golos de Lourenço que repetiu um belo golo de trivela, de fora de área, feito na semana passada.

Foi privilegiada a utilização dos jogadores com menos tempo de jogo. Peças importantes como João Pereira e Diogo Nunes não jogaram, João Pedro, Afonso e Henrique Araújo jogaram 25 minutos, Simão e Sérgio 15 minutos, tendo Salvador regressado depois de mais de um ano a recuperar de uma lesão contraída na Choupana. E, em 10 minutos, quase marcou.

Todos serão poucos para o assalto à Taça da Madeira. Amanhã acontecerá o sorteio da fase a eliminar, que se segue.


09/05/2016

União B,0 - Marítimo A,15

Com 10-0 ao intervalo, o jogo só teve um sentido e localizou-se quase sempre no meio campo defensivo do União. Henrique Araújo marcou seis e a equipa começa a subir nitidamente, em direcção aos jogos decisivos da Taça da Madeira que encerrarão a época.

[Jogo]

Independentemente do resultado da Taça, para trás, ficará uma época marcada por uma arbitragem incompetente no jogo decisivo de Santo António (bastava que o árbitro não incorresse num dos 4 erros que cometeu) que levou o Nacional à fase nacional do Campeonato de Iniciados. Recentemente, alguns comentaram a vitória do Marítimo numa das idades benjamins parecendo que nada disto aconteceu, que não viram, ou que não se lembram (...). [vídeo]

02/05/2016

Marítimo A,6 - Juventude A,1

Com esta vitória terá ficado garantido o 1º lugar no grupo e o acesso à fase final da Taça da Madeira de Sub15. O Juventude será o segundo classificado e poderá também aceder à fase final dos 8 melhores. Com 1-0 ao intervalo, o Marítimo só na 2ª parte garantiu o resultado face a uma equipa que defende bem e parte sempre que pode para o contra-ataque.

[Jogo]

11/04/2016

Marítimo A,3 - Marítimo B,0

Prosseguindo a fase de grupos da Taça da Madeira, o Marítimo A venceu a equipa B por 3-0. 

Depois de uma primeira parte onde os mais novos fecharam-se bastante bem (0-0), as alterações na segunda parte na equipa B (fez entrar os seus jogadores mais ofensivos) acabaram por decidir a partida face a 3 golos de Lourenço, na sequência de outras tantas transições rápidas na exploração do posicionamento menos defensivo do adversário. Na primeira parte, outros lances estiveram próximos do golo mas Vicente Lara esteve sempre bem.

03/04/2016

Madeira A vence Nacional

A Selecção da Madeira A (Sub14) foi a vencedora do Torneio Madeira Jovem 2016 ao vencer o Nacional Sub15 na final, disputada na Camacha, por 3-2. Golos de Henrique Araújo, Jorge Henrique e Tomás Fernandes.


O Marítimo assegurou o 3º lugar ao vencer a Selecção de Jersey pelo mesmo resultado, depois de uma "remontada" a partir do 0-2 ao intervalo, com 3 golos de Simão. Terminou o torneio com 4 vitórias e um empate (3-3 face à selecção Madeira A na fase de grupos).

Henrique Araújo foi o melhor marcador do torneio, com 9 golos em 4 jogos.

Torneio Madeira Jovem

Disputam-se esta manhã, na Camacha, os jogos finais do Torneio Madeira Jovem, realizado com objectivos de preparação da selecção sub 14 que participará (como anfitriã) no Torneio Inter-Associações Lopes da Silva, no final de Junho. Algo surpreendentemente, os favoritos, Marítimo e Nacional cederam empates ante a selecção sub14 Madeira A (3-3) [Vídeo] [Resumo] e Jersey (0-0), respectivamente. Se o empate nacionalista não impediu o seu acesso à final, o mesmo não aconteceu com o Marítimo que, por um golo, não conseguiu o mesmo objectivo. Assim, os jogos principais de hoje, que prometem, serão:

10h Marítimo - Jersey
12h Madeira A - Nacional

Outros resultados anteriores:

Marítimo,5 - União,1
Marítimo,4 - Camacha,0
Madeira A,5 - Camacha,1
Madeira A,5 - União,0

A anotar, também, os 8 golos apontados por Henrique Araújo, em consequência do bom trabalho dos colegas, nos 3 jogos disputados, neste caso não pelo Marítimo (a sua equipa), mas pela selecção Madeira A.


26/03/2016

Marítimo Campeão

Ao vencer Câmara de Lobos por 10-0, na final do torneio, o Marítimo passeou a sua categoria no campo e venceu por muitos a equipa que, nessa manhã ganhou o Portimonense por 2-0. O que acabou por revelar que a final antecipada do torneio foi o jogo da manhã entre o Marítimo e a Selecção Regional de Sub14, onde duas bolas paradas resolveram a questão (2-1) apesar da excelente réplica dos mais novos.

A Selecção Sub14 perdeu 2-3 com o Portimonense, na disputa pelo 3º lugar, depois de marcar os primeiros dois golos (2-1 ao intervalo). Todos os jogadores da Selecção participaram, pelo menos meio tempo, no encontro.

[Vídeo Selecção-Portimonense]

O Portimonense terá começado a pensar no encontro de sábado, na Choupana, para o Campeonato Nacional (que já nada vale para a classificação final pois o Nacional será último e o Portimonense penúltimo) onde completará 8 (!!) jogos em 5 dias, tendo "desligado", de alguma forma, nos jogos de sexta.

Com a reintegração, na selecção, dos Sub14 do Nacional que jogam na equipa A (vamos ver se absorvem o espírito lutador que a restante equipa mostrou neste torneio pois qualidade lhes é reconhecida) afigura-se interessante o torneio Madeira Jovem, a decorrer no próximo fim de semana.

25/03/2016

Marítimo,2 - Selecção Sub14,1

Um belo jogo (principalmente na 1ª parte, muito equilibrada). Valeram as bolas paradas (de Simão).

Estão definidos os jogos finais do Marítimo Centenário no escalão de iniciados, desta tarde, em Santo António e que repetem jogos já disputados, na fase de grupos:

Selecção Sub14 - Portimonense (3º e 4º lugares às 17h)

Marítimo - C.Lobos (final às 18h30)

[Vídeo Selecção-Marítimo]

24/03/2016

Amanhã, Selecção Sub14 - Marítimo A

Ao vencer os seus jogos de hoje, dos quartos de final, as duas equipas asseguraram uma das duas meias-finais. A realizar amanhã, logo cedo, no Adelino Rodrigues (Liceu). A Selecção venceu por 5-0 o Cachão (Bragança) e o Marítimo afastou o Trajouce (Cascais).

[Vídeo Selecção Sub14 - Cachão]

Marítimo Centenário

Com a equipa a gerir lesões de elementos importantes e com alguns jogadores na selecção regional de Sub14, está ultrapassada a fase de apuramento só com vitórias.

O Torneio, face aos resultados até ao momento, terá dois grandes favoritos (Marítimo e Portimonense) com a Selecção Sub14 e uma ou outra equipa à espreita.

Para já, a fase inicial fica marcada pelo penalti marcado contra o Portimonense no seu jogo contra a Selecção Sub14, no último minuto, quando o resultado era 1-1. E assim ficou, depois da Selecção ter prescindido de tentar o golo, perante a ameaça de abandono do jogo por parte do treinador de Portimão. O penalti poderá não ter existido tal como terão ficado muitas faltas por marcar, contra os algarvios, ao longo do jogo...

O resultado imediato terá sido colocar a Selecção Sub14 no caminho do Marítimo nas meias-finais, não menosprezando outros adversários que poderão, sempre, surpreender, libertando o Portimonense para jogos menos complicados, até à final.

Hoje, Marítimo-Trajouce e Selecção Sub14-Cachão

Os jogos que temos disponíveis, em vídeo, são os seguintes:

Selecção Sub14,9 - 1º Maio,0 (21/03)
Selecção Sub14,5 - CFFM,1 (22/03)
Selecção Sub14,1 - Portimonense,1 (23/03)

15/03/2016

Marítimo A,12 - União B,0

Um jogo bom para recuperar alguns ânimos perdidos. A que se juntaram algumas primeiras experiências de infantis de qualidade do clube. Deu para tudo, incluindo dois hattricks de João Freitas e Henrique Araújo. Mais alguns destes jogos e a necessária recuperação de jogadores (valiosos) que estão lesionados trarão de volta a equipa necessária para a disputa da Taça da Madeira.

08/03/2016

Taça da Madeira

Iniciou-se a Taça da Madeira de Iniciados. Já se disputaram 2 jogos: 

Marítimo A,2 - Marítimo B,0   [Vídeo]
Juventude Atlântico A,1 - Marítimo A,0   [Vídeo]

Dois jogos onde ainda se procura a motivação perdida no jogo onde mandou o "Silva" e se aproveita para a recuperação de lesionados. A derrota de Domingo não deverá criar problemas no apuramento mas convém aumentar os níveis de intensidade para que os jogos sejam resolvidos antes de se dispensar jogadores para o escalão superior, de dar rodagem a jogadores menos utilizados e de promover jogadores mais jovens (que, assim, nem têm muito a ganhar com a experiência).

24/01/2016

C.Lobos,0 - Marítimo,8

Num jogo de difícil motivação, depois do que aconteceu no passado Domingo, disputou.se, em C.Lobos o jogo final do Campeonato. Com 3-0 ao intervalo, o jogo não teve muita história. Golos de Afonso Correia (2), Diogo Nunes (2), João Pereira (3) e João Freitas.


Desta forma acabou um Campeonato de muito má memória onde a nossa equipa jogou o necessário e suficiente para ser primeiro. Ganhou vantagem nos jogos não decisivos (todos menos os dois contra o Nacional) importante para um possível desempate e assegurou uma derrota pela margem mínima na Choupana, depois de uma expulsão mal decidida logo no arranque da 2ª parte.

Chegados a Santo António, foi o que se viu: jogamos e marcamos para ganhar. Mas isso não nos foi permitido, face a uma arbitragem lastimável. Que se enganou grave e repetitivamente, prejudicando só e sempre o mesmo lado. Bastaria que não cometesse um erro, de entre muitos... Mas não foi assim.

Agora, novos objectivos: inicia-se a Taça da Madeira no próximo mês. Para aí, baterias apontadas. Muito trabalho e superação. 

22/01/2016

Depois de tudo isto, o que resta?

O que é importante?

Não é reclamar. Reclamar não leva a lugar nenhum. Nem essa reclamação se enquadra em qualquer possível reversão do resultado. Mas há que mostrar o que se passou, avaliar o caso e promover mudanças para que a situação não se repita ou no mínimo, se minimize.
O árbitro errou. Muito. Demasiadas vezes. Quatro vezes. Ou, no mínimo, três (já demonstradas) com gravidade e influência significativa no resultado. Bastava ter acertado numa delas e o resultado final do Campeonato teria sido outro. E uns ganharam muito (10 jogos competitivos na fase nacional) e os outros perderam tudo:

1.Anulação de um golo limpo, depois da sua validação, por ele próprio. Sem que nada o tivesse justificado: nem na jogada em si, nem por acção de um seu auxiliar. Incompreensível.

2.Face a uma simulação clara de um jogador do nacional (que foi reconhecida pelo árbitro pois nada assinalou), na procura de um penalti, não interrompeu o jogo para a marcação da falta por conduta anti-desportiva atribuindo o respectivo cartão amarelo (seria o segundo, logo, expulsão). Não o fez.

3.Logo de seguida, marca um penalti perante uma simulação de outro jogador do nacional. Tinha vários jogadores pela frente. O seu auxiliar não. Com visão directa e próxima do lance, este nada assinalou. O árbitro nem o consultou. Indescritível. O penalti deu o golo que valeu o campeonato.

4.Mais para o final do jogo, anula um golo ao Marítimo por indicação do seu auxiliar: a assistência de cabeça teria sido feita já com a bola fora. Esta é a única situação em que as imagens disponíveis não permitem definir a situação. Mas essas imagens existirão e nos foram prometidas. Aguardamos por elas. Até para a defesa, neste caso, da equipa de arbitragem.

Nesta matéria (escolha de árbitros) há que alterar as opções. Quem se lembrou de nomear esta tripla para lhe dar um “prémio de fim de carreira” pensou mal. Há demasiado em jogo (não o campeonato, mas 10 jogos competitivos que podem catapultar um grupo de jogadores para outros níveis) para se escolherem árbitros com níveis qualitativos ou com (o que seria pior e não queremos acreditar nisso) motivações duvidosas.

Os árbitros são elementos importantes ou até fundamentais para o jogo. Sem eles nada a fazer. Sujeitam-se a muitas situações difíceis: umas naturais e necessárias (a avaliação do seu trabalho), outras dispensáveis (impropérios, ameaças e até agressões). Podem se enganar e isso é também humano. Mas em todos os casos justificam-se as análises. Até em sua defesa. Mas também para a sua avaliação de qualidade.

Estes jogos devem ser dirigidos por árbitros jovens, ambiciosos e com uma carreira pela frente. Que tenham ainda que responder pelo seu trabalho e que dele (se for bom) dependam, para o seu futuro. Havia gente disponível capaz disto. A importância do jogo o justificaria.

Mas haverá outras mudanças a fazer. O treinador do Nacional, retomando sugestões já feitas em anos anteriores, aponta uma: a realização de uma fase precoce e rápida de definição de dois grupos na 1ª divisão e redução a 4 equipas para a decisão final, com campeonato a quatro voltas. Mas acrescentaria uma outra possibilidade: uma super-taça, entre o campeão e o vencedor da taça do ano anterior, a realizar a meio da referida primeira face precoce e rápida do campeonato. Assim, haveria pelo menos 5 jogos competitivos antes do acesso à fase nacional.

20/01/2016

Jogadas decisivas

As jogadas decisivas estão aqui reproduzidas.
Não comentamos, apenas descrevemos:

1)No golo invalidado, João Pereira antecipa-se e marca de cabeça. O guarda-redes, atrasado, estabelece o contacto impotente para evitar o golo. O árbitro valida, o fiscal de linha não se manifesta. Depois...

2)No penalti, o primeiro jogador simula e o árbitro reconhece isso. Mas não interrompe para a marcação da falta e sanção disciplinar (segundo amarelo). A jogada prossegue e o segundo nacionalista, já sem defesas verde-rubros próximos, dá duas passadas e na última (perna esquerda) "perde a força" e deixa-se cair. A forma como cai não é compatível sequer com o contacto que poderia alegar ter acontecido. O fiscal de linha, o único bem colocado da equipa "verde clara", nada assinala. Mas o árbitro, com 3 a 4 jogadores pela frente, não hesita...

Para o Marítimo ter sido campeão, não era preciso que o árbitro acertasse nas duas. Bastava uma...

19/01/2016

Algumas notas

Na sequência do jogo Marítimo-Nacional, fizeram-se as avaliações e os balanços. As imagens recolhidas permitiram, felizmente, tirar conclusões. Nas redes sociais, alguns reclamaram das imagens disponibilizadas. Não entendemos...

Nós não reclamamos. Nós apenas mostramos...

Imagens Marítimo TV (imagens muito claras)

As imagens revelam que, sem erros de arbitragem, o Marítimo ganharia. A RTP mostrou o mesmo. O Diário de Notícias não terá estado no campo (pelo menos naquele naquela hora). Felizmente as imagens divulgadas contrariam o que ali, alguém escreveu ...
Os jogadores do Nacional estão naturalmente de parabéns. Tal como os do Marítimo. Mas pelo jogo feito e não pelo resultado (1-1) e respectivas consequências (título para um e não para outro). Nesta matéria, há apenas que aceitar o resultado final. Não há lugar a reclamações. Mas, sendo possível, há lugar a mostrar como tal resultado foi consumado ...

Algumas notas:

1)As imagens dos jogos de futebol são vistas e revistas (veja-se o tempo de antena nas televisões). Os jogadores fazem o que fazem e têm que assumir o que fazem. E quando entram em campo, são eles que lá estão. Não outros. O mesmo se aplica aos árbitros. Não há que recear de ser mostrado o que fazem e o que decidem em cada momento...

2)Este blog é de responsabilidade pessoal e respeita a uma equipa, a do Marítimo. Não tem qualquer responsabilidade em ser idóneo. Essa responsabilidade cabe (ou deveria caber - ver acima) a órgãos de informação...

3)Procuramos sempre publicar o vídeo do jogo completo. Aí, vê quem quer e conclui o que quer...

4)Sobre outro assunto: está irregular o jogador "... que não se tenha previamente submetido a exame pelas entidades médicas competentes ou não tenha por estas sido considerado apto para a prática da modalidade". Ora, segundo as informações que temos (são poucas) a AFM terá em sua posse um exame médico do jogador válido até 12/01/2016 pelo que suficiente para permitir a sua participação legal no jogo do dia 10/01/2016. A 14/01/2016 a AFM terá recebido a revalidação do exame médico desportivo (por mais um ano) que o voltou a tornar apto para os jogos seguintes.

18/01/2016

Marítimo,1-Nacional,1

Ultrapassada a fase de avaliação dos lances decisivos, antes de mais, os parabéns às duas equipas em jogo. Qualquer uma delas (ou as duas) mereciam o título e o acesso à fase nacional. Só uma podia chegar aí. Apesar do Marítimo ter feito o suficiente e necessário para tal, foi o Nacional que acabou por levar o título. A compensação é grande pois a presença na fase nacional (mais que o título) tem efeitos significativos na evolução dos jogadores que aí chegam.

Nos moldes actuais, pouco se pode fugir desta sina. É um Campeonato discutido em dois jogos. Quando o equilíbrio é notório, contam os pormenores. Uma falha aqui, um acerto acolá. E o computo final, neste balanço permitiria ao Marítimo vencer. Mas uma terceira equipa também esteve em campo. E falhou. Na medida certa para alterar totalmente o resultado final do jogo e do Campeonato...

Ver resumo


Um breve comentário ao jogo: tal como o da primeira volta, na Choupana, foi um jogo equilibrado. As oportunidades de golo foram repartidas com a posse de bola a variar de uma parte (na primeiro para o Nacional) para outra (na segunda para o Marítimo). Para a História fica a vitória do Nacional mas tristemente ensombrada por terceiros...

17/01/2016

Marítimo,1 - Nacional,1

E tudo foi decidido pelas ... arbitragens.

Ver vídeo das jogadas decisivas aqui

O Marítimo esteve em vantagem no Campeonato durante 3 minutos, já na metade final da segunda parte, após um golo de cabeça de Henrique Araújo. 

Na primeira parte, foi muito mal anulado pelo árbitro um golo, ao Marítimo: João Pereira adianta-se e antecipa-se ao guarda-redes, sobe e marca: golo limpo. O árbitro valida o golo, aponta para o meio-campo, mas logo hesita, recua e manda marcar a falta. O guarda-redes, atrasado e impotente, atira-se para o verde-rubro. É ver no vídeo ...

Depois, mais uma anulação de um golo ao Marítimo, argumentando, desta vez o árbitro, que Simão teria cabeceado fora de campo, ao segundo poste, na sequência deu um canto da direita, servindo Henrique Araújo que marcaria de novo, de cabeça. A dúvida pode ser colocada mas há quem estivesse no enfiamento da linha e assegure que apesar do jogador estar, a bola nunca esteve toda fora. Mas de nada valeu...

Se a estes casos juntarmos a expulsão (errada) na Choupana, do nosso guarda-redes no início da segunda parte (ver aqui), o que nos obrigou a meia hora com 10 contra 11, podemos concluir que o Campeonato, dentro do equilíbrio usual entre os dois grandes regionais decidiu-se, claramente, na actuação dos árbitros. É pena que seja (quase) sempre assim, com prejuízo, repetido, do mesmo...

Nada disto nos impede de dar parabéns às duas equipas pelo disputado e emotivo jogo que nos ofereceram.

11/01/2016

Marítimo,2 - Camacha,0

Cumprida a missão inicial.

Estão ganhos todos os jogos e mantida a vantagem necessária no gol-average nas vésperas do jogo final (mata-mata) de Domingo, 17 de Janeiro, que decidirá o Campeonato, contra o Nacional em Santo António.

Resumo  |   Vídeo

Tudo em aberto: para o Marítimo, que joga em casa e tem de ganhar (bastará por um golo); para o Nacional que lhe basta empatar. As únicas nuances: se o Nacional ganha ou empata é campeão de imediato; a vitória do Marítimo permite-lhe ser Campeão, na última jornada (contra o C.Lobos) se fizer um resultado igual ou melhor ao Nacional.

Quanto ao jogo, pouco a dizer. Simão marcou os dois golos de bola parada (livre).

07/01/2016

Machico,0 - Marítimo,2

Um bom jogo entre duas das três melhores do campeonato. Os dois golos foram obtidos, ainda na primeira parte, por Afonso Correia e Francisco Vieira. O Marítimo esteve sempre por cima (falhou algumas oportunidades claras) mas o adversário foi sempre forte e pressionante explorando o futebol direto (duas belas intervenções de Leo, na baliza). Chegou a colocar uma bola na barra (livre) já na parte final do jogo. O árbitro fez vista grossa a um penalti claro, sobre Henrique Araújo que poderia levar ao 3ºgolo verde-rubro, sentenciando, logo ali, o jogo. De resto, a partida não trouxe mais problemas.